São Paulo 11 2808-7066 | Campinas e região 19 3112-0066 | Rio de Janeiro 21 3512-0826 | Brasília 61 3246-7115
Minas Gerais 31 3519-9549 | Paraná 41 3012-0045 | Demais Estados 0800 724 0228

 
Renda Variável
Ações

Títulos de renda variável, emitidos por sociedades anônimas, que representam a menor fração do capital da empresa emitente.

Podem ser escriturais ou representadas por cautelas ou certificados. O investidor em ações é um co-proprietário da sociedade anônima da qual é acionista, participando dos seus resultados. As ações são conversíveis em dinheiro, a qualquer tempo, pela negociação em bolsas de valores ou no mercado de balcão.

Características

Ação, também chamada de papel, é um título que representa um pedaço de uma empresa, que você pode comprar ou vender na Bolsa de Valores através da Walpires Corretora. Uma pessoa que compra uma ação está adquirindo uma cota de uma empresa, tornando-se um acionista, ou seja, um sócio. Os preços das ações oscilam diariamente de acordo com o mercado e tendem a acompanhar o ritmo da economia.

Existem dois tipos de ações:

  • Ordinárias (ON) que proporcionam participação nos resultados das empresas e garantem ao acionista a participação nas decisões da empresa, com direito de voto em assembléias gerais.
  • Preferenciais (PN) que não garantem direito a voto, mas garantem ao acionista a prioridade na distribuição dos lucros (geralmente em percentual mais elevado) e no reembolso em caso de liquidação da empresa. Investimentos em ações não possuem patrimônio garantido. A duração recomendada para este investimento é de longo prazo.

Negociação e Liquidação

Negociação:

Para comprar ou vender ações você precisa abrir uma conta na Walpires Corretora. Feito isso será necessário transferir recursos para a Walpires Corretora. Com a conta aberta e com dinheiro em custódia, entre em contato com seu Assessor ou acesse seu Home Broker e solicite a ordem de compra ou venda do papel desejado. As ações podem ser negociadas em lote padrão ou no mercado fracionário. Cada ação negociada na Bovespa possui um lote padrão de negociação, normalmente formado por 100 ações, mas também podem ser formadas por 1.000 ações, 10.000 e 100.000 ações. A negociação de um número de ações inferior ao lote padrão é feita no mercado fracionário. Por exemplo, um papel é negociado em lote-padrão de 100 ações. Se você deseja comprar 50 ações, é preciso negociar no mercado fracionário. Entretanto, o procedimento para realizar uma compra de 150 ações é outro. As 100 ações serão negociadas no mercado padrão e os 50 ativos restantes no mercado fracionário. Para realizar operações no mercado fracionário o procedimento é o mesmo do mercado padrão, tanto pelo Home Broker como pelo seu Assessor Exclusivo.

Liquidação:

A Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC) é responsável pela compensação e liquidação das operações com ativos realizadas no mercado à vista do segmento BOVESPA. A liquidação financeira da compra e venda de ações é feita em três dias úteis (D3), ou seja, após a compra (ou venda) dos ativos, os recursos somente serão debitados três dias úteis após a operação. Os ativos entram em custódia em três dias úteis (D3). A Walpires Corretora é responsável, perante a CBLC, pela entrega dos ativos e pelo pagamento dos recursos financeiros, correspondentes ao resultado da compensação multilateral das operações realizadas pelos seus clientes. A CBLC estabelece prazos e horários, definidos como “ciclo de liquidação”, para o cumprimento de obrigações decorrentes de liquidação das operações. O início ao ciclo de liquidação ocorre após a aceitação da operação realizada nos Ambientes de Negociação, no dia da realização da Operação (D+0).

Liquidação fiinanceira: A liquidação fiinanceira ocorre quando o valor financeiro é creditado ou debitado na conta do cliente. Compreende o pagamento do valor total da operação pelo comprador, o respectivo recebimento pelo vendedor e a efetivação da transferência das ações para o comprador. Ocorre no terceiro dia útil (D+3) após a realização do negócio em pregão. Em nossas operações, o cliente de Varejo deve possuir os recursos financeiros em conta na data da operação (D0), tanto para compras no mercado à vista (liquidação física em D+3) quanto para compras no mercado de opções (liquidação física em D+1)

Liquidação Física: A liquidação física ocorre quando as ações entram na custódia do cliente. As ações só ficam disponíveis ao "comprador" após a liquidação financeira (D+3). Os ativos objeto da Operação devem estar disponíveis para a entrega, até horário limite para entrega de ativos de renda variável, estabelecido pela CBLC, no terceiro dia útil após a realização da Operação (D+3), na conta de custódia do investidor vendedor.

A falta da entrega de ativos é caracterizada pela não entrega total ou parcial dos ativos em D+3 nos horários devidos. Também caracterizam falta de Entrega a ausência de apresentação de documentos necessários à Liquidação da Operação ou a apresentação de documentos falsos ou ilegítimos. A CBLC cobra do vendedor inadimplente multa de 0,2% sobre o valor, da operação, dos ativos não entregues.

Caracterizada a falta na entrega, a CBLC aciona seu primeiro mecanismo de tratamento de faltas da entrega, o sistema compulsório de empréstimo de ativos. Caso o ativo não esteja disponível no sistema de empréstimo de ativos, a CBLC permite a regularização da operação pendente até horário limite para entrega de ativos de renda variável, estabelecido na tabela de prazos e horários, do quarto dia útil da realização da Operação (D+4).
Caso o Agente de Compensação (Corretora) não entregue os ativos até horário limite para entrega de ativos de renda variável, estabelecido na tabela de prazos e horários, do quarto dia útil da realização da Operação (D+4), a CBLC inicia, às 15h55 do próprio dia, o segundo mecanismo de tratamento de falta de entrega: o processo de recompra dos Ativos.

Vale frisar a CBLC cobra do vendedor uma nova multa de 0,2% sobre o valor dos ativos não regularizados.

A ordem de recompra é o instrumento que autoriza o participante de negociação, representante do investidor comprador, a executar, a preço de mercado, uma nova operação de compra dos ativos adquiridos em D+0 e não recebidos no prazo regulamentar por falta da entrega. Em D+4, a CBLC emite a ordem de recompra a favor do referido Participante de Negociação, caso os ativos objeto de uma operação de venda não sejam entregues até a manhã de D+4. A ordem de recompra deve ser executada da data de emissão até D+6. O participante de negociação tem até D+7 para confirmar, perante a CBLC, a execução da ordem de recompra.

As despesas decorrentes da execução da ordem de recompra e o valor apurado devem ser pagos pelo vendedor responsável pela falta da entrega dos ativos, sendo o respectivo valor incorporado ao saldo líquido multilateral a ele direcionado para liquidação no terceiro dia útil posterior à data de execução da ordem de recompra, desde que a CBLC tenha sido notificada de sua execução.

Se, por algum motivo, a ordem de recompra não for executada ou cancelada até D+6, esta perderá automaticamente a sua validade e a CBLC procederá em D+8 com a reversão da operação original.

É de extrema importância que o investidor esteja ciente de que ao comprar um ativo e efetuar a venda do mesmo antes de sua liquidação estará sujeito a uma possível inadimplência se as ações compradas não forem entregues. Nas operações de Day Trade o IR é retido na fonte com alíquota de 1% sobre o ganho apurado. Nas demais operações, o IR sobre o ganho apurado deverá ser recolhido por meio do carnê-leão. Nas vendas acima de R$ 20.000,00 haverá a incidência na fonte de 0,005% .

Garantias

Por não oferecer garantia de retorno, devem ser considerados investimentos de risco.

Risco

Risco de Crédito: É o risco associado ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte, de suas obrigações fiinanceiras nos termos e prazos pactuados, gerando inadimplência ou atraso na liquidação de suas obrigações, resultando em perda financeira para a parte credora;

Risco de Liquidez: É o risco associado à possibilidade de o cliente não possuir recursos financeiros suficientes em uma data prevista para honrar seus compromissos, em razão de descasamentos entre fluxos de pagamentos e de recebimentos seja por:

(a) dificuldade em negociar rapidamente ativos ou posições que possua, por falta de preços ou de liquidez de mercado;

(b) dificuldade para obter funding ou financiamento de sua posição de caixa e com isso manter suas obrigações financeiras adimplentes; Para ambos os casos, o cliente estará sujeito a perdas financeiras.

Risco de Mercado: É o risco associado à possibilidade de perda por oscilação nos preços de ativos diante das condições de mercado. Esse tipo de risco está relacionado às operações realizadas nos mercados de ações, câmbio, taxa de juros e commodities, que podem ser feitas diretamente através da compra e venda de ativos ou operações com derivativos, podendo resultar, inclusive, em perdas ao patrimônio do cliente. Entre os fatores que afetam estes mercados, destacamos fatores econômicos gerais, tanto nacionais quanto internacionais, tais como ciclos econômicos, política econômica, situação econômico-financeira das empresas emissoras de ações e títulos e outros. Em caso de queda do valor dos ativos que compõem a carteira, o patrimônio do cliente pode sofrer perdas, dependendo do momento quando o cliente necessite se desfazer de suas posições.

Risco Proveniente do uso de Derivativos: Derivativos são instrumentos fiinanceiros cujas características estão vinculadas a outros títulos, ativos, ou instrumentos que lhe servem de referência. Como exemplo, podem ser mencionados: opções sobre ações, contratos futuros sobre o dólar comercial, sobre o índice BM&FBOVESPA, sobre a taxa DI etc. Risco proveniente de operações realizadas nos mercados derivativos com a finalidade de proteção (hedge) ou alavancagem, que podem ser assim descritos:

  • Hedge: os derivativos são utilizados para reduzir exposições ao risco de determinado ativo/passivo ou mesmo de uma carteira. Nesse caso, o risco está associado a possíveis dificuldades de realização de uma proteção adequada, uma vez que nem sempre as alternativas disponíveis no mercado possuem exatamente as características da exposição que se deseja proteger, como por exemplo: prazo, indexador e outros motivos que causem o descasamento dos preços.
  • Alavancagem: operações com derivativos permitem que seja assumida uma exposição financeira maior que o investimento realizado ou patrimônio líquido em carteira, sendo assim as oscilações do mercado podem resultar em perdas maiores que o investimento realizado pelo cliente.

Permanência e Desempenho Esperado

A permanência na operação dependerá da estratégia adotada pelo investidor e as condições de mercado.
O mercado de ações e valores mobiliários em geral, assim como os mercados futuros e de opções, não oferece ao investidor rentabilidade garantida.


A WALPIRES S/A CCTVM é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil. Toda comunicação através da rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. i.c.v.m. 380,art.4o, § único. A senha e assinatura digital, de uso pessoal e intransferível, criadas pelo próprio cliente, são de seu conhecimento e uso exclusivo. A assinatura digital valerá como assinatura do cliente para qualquer transação efetuada. A WALPIRES S/A CCTVM poderá bloquear uma delas ou ambas quando julgar o seu uso como irregular.

Atendimento Home Broker: atendimentohb@walpires.com.br. Em caso de indisponibilidade do Home Broker, clique aqui.
Ouvidoria: 0800 724 3054

Mapa do Site | Termos e Avisos | Política de Privacidade | Home

Nossas redes sociais: | Acesse também: